fbpx
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
Share on linkedin

Candidíase, o que é, quais os sintomas e como é realizado o tratamento?

O que é a candidíase?

A candidíase vaginal ou candidíase vulvovaginal é uma infecção desencadeada principalmente pelo fungo candida albicans, que pode causar coceira, corrimento e irritação na região da vagina. 

O fungo normalmente vive no organismo, em locais como a boca, a garganta, a vagina e a pele, sem causar nenhum problema. Porém, quando ocorre um desequilíbrio na flora vaginal, o microrganismo se multiplica e desencadeia a infecção.

Esse desequilíbrio que causa a candidíase pode ocorrer quando há uma baixa imunidade ou quando a resistência vaginal está baixa, facilitando a proliferação do candida albicans.

A candidíase é uma doença que pode acometer várias partes do corpo humano, mas atinge mais frequentemente os órgãos genitais gerando grande incômodo. Ela não é considerada uma DST (doença sexualmente transmissível), pois o fungo vive naturalmente na flora vaginal.

Apesar de ser um problema predominantemente feminino, pode acometer também os homens. A  candidíase pode apresentar sintomas no pênis, na boca (nesse caso, a candidíase é conhecida popularmente como “sapinho”) e em outras regiões. Isso porque os fungos podem estar presente em diferentes partes do corpo. Se estiver em um local que encontre as condições adequadas, vai se desenvolver e causar irritação.

Você sabia?

Que 75% das mulheres têm a candidíase pelo menos uma vez na vida e que dos casos de corrimento genital infeccioso, 20% a 25% tem como causa principal a candidíase.

Quais são os sinais e sintomas da infecção causada pelo candida?

  • Prurido (coceira)
  • ­Ardência
  • ­Corrimento esbranquiçado, espesso (com aparência leitosa) e sem odor ­
  • Dor durante a relação sexual
  • Dor ou desconforto ao urinar
  • No homem, aparece vermelhidão e uma espécie de nata na ponta do pênis
  • Aftas
  • Dor ao engolir alimentos

Embora a maioria dos casos de candidíase vaginal sejam brandos, algumas mulheres podem desenvolver infecções graves que envolvem vermelhidão, inchaço e rachaduras na parede da vagina (parece uma assadura).

Em que situações, a candidíase pode acontecer?

Conheça os principais fatores de risco:

  • uso de antibióticos ou medicamentos como anticoncepcionais e corticóides;
  • gravidez;
  • obesidade;
  • Diabetes;
  • infecções, como por exemplo, causadas pelo vírus HIV;
  • Deficiência imunológica causada por doenças como o câncer e a AIDS;
  • uso de vestuário inadequado: roupas íntimas apertadas, biquínis molhados por muito tempo, roupas de lycra e de outros materiais sintéticos que aumentam a temperatura vaginal;
  • relação sexual sem preservativo;
  • uso de duchas vaginais em excesso.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é feito pelo médico que analisa a mucosa da vagina (para identificar o tipo de corrimento) ou do pênis, combinado aos sintomas presentes e queixas e eventualmente após a realização de exames adicionais, caracteriza a enfermidade.

Nas mulheres, pode ser necessária uma raspagem da área afetada para coleta de uma amostra para análise laboratorial a fim de identificar o tipo de fungo causador do problema.

Existe alguma forma de prevenir a Candidíase?

Algumas recomendações podem ser seguidas para reduzir o risco de ter a infecção

  • usar de preferência roupas íntimas de algodão;
  • evitar o uso de absorventes internos por um período prolongado;
  • evitar o uso prolongado de roupas molhadas ou muito apertadas;
  • realizar a higiene da região íntima com sabonetes de pH neutro;
  • usar preservativo para evitar a contaminação entre parceiros.

A candidíase é uma doença oportunista, Por isso, portadores de HIV ou em tratamento contra o câncer, que já tem a imunidade comprometida, precisam de cuidados extras para prevenir a infecção pelo fungo. 

Como é realizado o tratamento? 

 Medidas simples podem ser recomendadas:

  • evitar roupas inadequadas;
  • evitar duchas vaginais;
  • não utilizar desodorantes íntimos;
  • não ter relações sexuais durante o tratamento;
  • usar camisinha.

Além dessas medidas, na maioria dos casos podem ser prescritos pelo médico, o uso de antimicóticos (antifúngicos) em comprimido e de cremes de uso tópico. 

Quando a irritação é muito acentuada, o especialista pode associar o tratamento contra a candida albicans a algum medicamento via oral à base de corticóide.

E se ela voltar a acontecer? Como lidar com a Candidíase recorrente?

Como você já sabe, a candidíase acontece por causa da proliferação excessiva do fungo candida, que normalmente está presente em pequenas quantidades na flora vaginal. 

A recorrência, ou seja, o surgimento repetitivo da infecção, na maioria das vezes, se deve a fatores não ginecológicos como: alimentação desbalanceada, estresse, baixa imunidade ou alguma outra enfermidade.

Por isso, quando a candidíase se torna uma condição repetitiva e a mulher passa a ter que conviver e tratar constantemente o problema, outras causas devem ser investigadas.

Como evitar a candidíase recorrente?

Além do uso de medicamentos, podem ser recomendadas algumas medidas para reduzir os fatores não ginecológicos que estão causando o problema:

  • seguir uma dieta pobre em açúcares e carboidratos,
  • consumir em abundância alimentos ricos em vitamina A e D,
  • dormir bem e evitar situações de estresse.

Importante!

Existem outras condições que podem provocar sintomas parecidos com os da candidíase vaginal, somente um médico especializado poderá diagnosticar e decidir o melhor tratamento para cada caso.

Fonte: ism

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat