fbpx
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
Share on linkedin

Saúde da mulher: cuidados básicos para ter uma vida longa e saudável

Ao longo da vida, as mulheres passam por muitas transformações físicas, emocionais e hormonais, exigindo cuidados específicos. Nesse sentido, a saúde da mulher deve ser abordada de forma sistêmica, de modo a acompanhar todas essas mudanças e garantir mais longevidade e qualidade de vida.

O fato é que a maioria das doenças e problemas que afetam as mulheres pode ser evitada por meio de alguns cuidados básicos, que envolvem desde uma boa alimentação até o monitoramento dos níveis hormonais. Na gestação, é necessário ter ainda mais atenção, tendo em vista o risco de hipertensão, diabetes e outras complicações.

Mas quais são os principais cuidados com a saúde da mulher? Quais profissionais procurar e quais exames devem ser realizados? É disso que trataremos neste artigo! Continue lendo e veja o que fazer para ter uma vida mais saudável. Boa leitura!

As doenças mais comuns em mulheres

Qualquer mulher está sujeita a todo tipo de doença. No entanto, é importante observar que algumas são restritas apenas a elas ou, ainda, causam mais mortes ou complicações devido ao metabolismo e a outras características femininas. A seguir, destacamos as doenças que mais acometem as mulheres.

Osteoporose

Trata-se da perda gradual de cálcio nos ossos, tornando-os frágeis e porosos. Assim, a osteoporose aumenta o risco de fraturas, além de provocar dores e dificuldade nos movimentos. O problema é causado, principalmente, por fatores genéticos, mas pode ser agravado pelo sedentarismo, alimentação pobre em cálcio, excesso de álcool e cigarro. A queda no índice de estrógeno também é um agravante; por isso, a tendência é a evolução da doença a partir dos 40 anos.

Câncer de mama

O fator genético pode ser o grande responsável pela ocorrência de câncer de mama, a segunda maior causa de mortes de mulheres no país. Esse também é o segundo tipo mais comum no mundo, ficando atrás apenas do câncer de pulmão. A tendência é que ele aconteça com mais frequência depois dos 40 anos, sobretudo em mulheres que tiveram menstruação precoce, menopausa tardia e nunca amamentaram.

Para se prevenir, é fundamental realizar o autoexame das mamas e procurar um médico regularmente para fazer uma mamografia. A campanha Outubro Rosa é realizada todos os anos para conscientização sobre a importância da prevenção ao câncer de mama.

Doenças cardíacas

As doenças cardiovasculares, como a insuficiência cardíaca e o acidente vascular cerebral, são a maior causa de morte no mundo, inclusive entre as mulheres. Segundo a Organização Mundial de Saúde, 90% dos casos podem ser evitados por meio da adoção de hábitos saudáveis, ainda que os fatores genéticos possam influenciar bastante.

Infecções respiratórias

Gripes, resfriados, rinites, asmas e outras doenças respiratórias são bem comuns nas mulheres, afetando a saúde delas pelos sintomas, mas também por prejudicarem o metabolismo e favorecerem outros problemas médicos.

É importante destacar, ainda, o quanto o câncer de pulmão, um dos tipos mais letais, tem crescido entre elas nos últimos anos. Isso pode ser resultado do sedentarismo, da má alimentação, da depressão e do abuso de substâncias como cigarro, álcool, medicamentos e drogas ilícitas.

Obesidade

obesidade é uma doença crônica e já pode ser considerada epidêmica em todo o mundo, afetando homens, mulheres e crianças. O problema é grave, uma vez que é um fator de risco para diversas doenças, como diabetes, hipertensão arterial e outros problemas cardíacos.

Nas mulheres, a maior dificuldade está relacionada à baixa quantidade de hormônios como a testosterona, o que prejudica o metabolismo e a perda de peso. Emagrecer é ainda mais difícil para aquelas acima dos 40 anos, aumentando as complicações decorrentes do sobrepeso.

Os cuidados básicos com a saúde da mulher

Diante dessas e de outras tantas doenças às quais as mulheres estão suscetíveis, é fundamental adotar alguns cuidados básicos na saúde. Confira a seguir.

Planejamento reprodutivo

Uma gravidez inesperada pode interromper muitos planos. Por isso, o ideal é pensar se vai querer ter filhos, quantos são desejados e quando se quer tê-los. Enquanto eles ainda não são esperados, é bom procurar algum método contraceptivo, como diafragma, dispositivo intrauterino (DIU), pílulas anticoncepcionais e preservativos.

É muito importante consultar um ginecologista antes de adotar algum deles, para um acompanhamento adequado, inclusive em caso de contraindicações e efeitos colaterais.

Alimentação

Uma alimentação saudável é fundamental para mulheres de todas as idades. Nutrientes como vitaminas, sais minerais e proteínas são necessários para o bom funcionamento do organismo, reduzindo o risco de doenças e aumentando o bem-estar.

Outro ponto relacionado à alimentação é que ela é importante para o controle do peso corporal. Muito além de uma questão estética, a obesidade pode ser bastante grave, aumentando o risco de diabetes, diversos tipos de câncer, hipertensão e outros problemas cardiovasculares.

Saúde mental

Não é só o corpo que precisa de cuidados. A saúde mental é essencial para uma vida saudável por completo, mas costuma ser bem negligenciada. A dupla jornada de trabalho, oscilações hormonais e problemas familiares só agravam a situação. Assim, muitas mulheres sofrem com ansiedade, depressão, estresse e insônia, entre outros transtornos.

Menopausa

A menopausa é um período delicado para as mulheres, pois implica em muitas transformações físicas e psicológicas. Com o fim da menstruação e da idade reprodutiva, vêm alterações, sensações e emoções. Todas elas devem ser monitoradas de perto por um médico ginecologista, que passará a melhor abordagem terapêutica para os sintomas de cada paciente.

É bom destacar que não existe um padrão de tratamento. Por exemplo, nem toda mulher precisa fazer reposição hormonal, e a quantidade de hormônios pode variar bastante. Assim, o melhor é seguir as recomendações do médico, fugindo de expectativas irreais.

Cuidados com a gestante

O período gestacional requer cuidados específicos com a saúde da mulher e da criança. Nesse momento, é fundamental monitorar todas as etapas da gravidez e do desenvolvimento do bebê e como ele afeta o organismo da gestante. É necessário acompanhar indicadores como pressão, peso corporal e índice glicêmico, tendo cuidado, inclusive, com os aspectos psicológicos.

Diabetes gestacional

As alterações hormonais durante a gravidez trazem muitas consequências para a saúde da mulher, algumas positivas, outras negativas. Entre estas últimas, podemos enquadrar a perda da capacidade de metabolismo da glicose. Em algumas gestantes, o pâncreas pode compensar a produção de insulina; quando isso não acontece, pode surgir um quadro conhecido como diabetes gestacional.

Essa situação pode acontecer em qualquer gestante. Por isso, recomenda-se um pré-natal bem-feito, no qual o índice glicêmico é monitorado de perto. Se não for tratado, o diabetes gestacional pode permanecer mesmo depois do parto, tornando-se uma doença crônica na mãe e trazendo consequências para o bebê, como obesidade ou hipoglicemia neonatal.

Hipertensão gestacional

Entre 5% e 7% das mulheres grávidas brasileiras podem desenvolver um quadro chamado de Doença Hipertensiva Específica da Gestação (DHEG). A hipertensão gestacional é caracterizada pelo aumento da pressão apenas no período, exigindo cuidados redobrados com a saúde da mulher. Em casos mais graves, pode ser necessário fazer um parto precoce ou mesmo interromper a gravidez.

Depressão pós-parto

Outro problema comum relacionado à gravidez é a depressão pós-parto, uma condição em que a mãe se sente profundamente triste, com falta de esperança e grande sofrimento emocional logo após dar à luz. Em casos extremos, pode ocorrer uma forma agressiva, conhecida como psicose pós-parto.

A depressão pós-parto pode ter consequências graves para o vínculo entre a mãe e o bebê, prejudicando a amamentação, os cuidados com a criança e, claro, a mãe. Muitas vezes, podem ficar sequelas que se prolongam pela infância e adolescência. Por isso, o problema não deve ser ignorado, recebendo o tratamento psiquiátrico adequado.

Como deve ser o check-up anual feminino

O check-up anual é uma avaliação completa da saúde da mulher, que envolve desde os cuidados básicos até os mais específicos, relacionados a cada organismo. Ele é fundamental para a detecção precoce de inúmeras doenças, principalmente aquelas que demoram a apresentar sintomas, como câncer, diabetes e doenças cardiovasculares. A seguir, listamos os médicos que devem ser procurados para consultas e exames.

Clínico geral

Normalmente, o primeiro médico a ser consultado é o clínico geral, como um atendimento primário. Conforme a necessidade, ele pode encaminhar a paciente para outros especialistas. Esse profissional também pode pedir uma série de exames, como de urina, fezes e sangue.

Cardiologia

Uma vez que as doenças cardiovasculares são bastante comuns e a principal causa de morte entre as mulheres, obviamente, o cardiologista é um dos especialistas mais procurados. No entanto, o maior erro é procurá-lo apenas quando há algum sinal de irregularidade.

Pelo contrário, ele deve ser consultado regularmente, tanto para a realização de exames de rotina quanto para a indicação de medidas preventivas. Além disso, o cardiologista deve ser visitado sempre antes de se começar uma atividade física, tendo em vista que algumas delas podem acarretar uma sobrecarga do coração, caso a pessoa tenha algum problema de saúde ainda não descoberto.

Ginecologia

O ginecologista deve ser procurado pelas mulheres anualmente, para a realização dos exames ginecológicos de rotina, como a mamografia, ultrassom das mamas e o Papanicolau. Esse médico também pode recomendar métodos contraceptivos mais adequados ao perfil de cada paciente, além de analisar qualquer problema relacionado à saúde da mulher.

É papel do ginecologista, ainda, o acompanhamento da gravidez, com a realização do pré-natal, que monitora todo o desenvolvimento da criança e a saúde da gestante.

Nutrição

É comum as pessoas procurarem um nutricionista apenas por questões estéticas, quando querem perder ou ganhar peso, ou para a melhoria do desempenho esportivo. No entanto, esse profissional é muito importante para orientar a alimentação mais adequada para cada pessoa.

No caso das mulheres, especificamente, uma nutrição apropriada é fundamental para reduzir os efeitos da menopausa e da TPM, por exemplo. Para as gestantes, o nutricionista pode indicar os alimentos certos para o melhor desenvolvimento do feto e a manutenção da saúde da mãe, evitando problemas como o diabetes e a hipertensão gestacional.

Dermatologia

As mulheres costumam procurar um dermatologista por motivos estéticos, no caso de acnes e de procedimentos como aplicação de botox e preenchimento, mas a atuação desse especialista vai muito além disso. Afinal, existem muitos problemas de pele que devem ser tratados, porém, passam despercebidos, como pintas, manchas e outras deformações.

Da mesma forma, o dermatologista clínico pode recomendar dermocosméticos, protetores solares e outros produtos mais adequados para cada mulher, de acordo com as diferenças hormonais, a idade e o tipo de pele.

Fisiatria

Já o fisiatra é o médico que trata da reabilitação física em caso de lesões e incapacidades, desde os mais simples problemas articulares até os mais complicados, como as sequelas de um derrame cerebral.

Para a saúde da mulher, esse especialista é muito importante, uma vez que ele pode ajudar na recuperação de diversos problemas recorrentes, como lombalgias e fraturas decorrentes de osteoporose.

Odontologia

Muita gente se esquece de ir ao dentista ou o procura apenas quando há algum problema, como uma cárie, uma dor de dente ou um sangramento na gengiva, além de motivos estéticos. Entretanto, muitos problemas odontológicos podem ser silenciosos, demorando bastante para apresentar sintomas. Por isso mesmo, é necessário procurá-lo pelo menos uma vez ao ano, para uma revisão e uma limpeza completa.

Oftalmologia

O exame oftalmológico deve ser feito anualmente, para a verificação de problemas na visão como a miopia, a presbiopia, a hipermetropia e o astigmatismo. Além disso, o oftalmologista deve ser procurado para a realização do exame de fundo de olho, que investiga problemas na retina e na mácula, e a medição da pressão interna, que pode indicar a ocorrência de glaucoma.

Psicologia

Por fim, o psicólogo é essencial para cuidar da saúde mental da mulher. O profissional pode ajudar a tratar diversos problemas, como ansiedade e depressão. Também pode auxiliar no controle de problemas como a menopausa e a TPM. Durante a gravidez, pode ajudar a entender as transformações vividas no período e todas as questões que envolvem a chegada de uma criança à vida da mãe.

Exames laboratoriais e de imagem mais importantes

Obviamente, cada especialista listado acima pode indicar exames ginecológicos, laboratoriais e de imagem diferentes, dependendo das necessidades de cada pessoa. Desde os mais simples, como os de sangue, até os mais complexos, como uma ressonância magnética. De qualquer modo, listamos alguns dos principais para a garantia da saúde da mulher.

Papanicolau

É o nome popular do exame preventivo do câncer ginecológico. O papanicolau é simples, podendo ser realizado no próprio consultório médico, servindo para detectar a presença de células cancerosas na região do colo uterino. Caso seu resultado seja positivo, o médico pode indicar uma biópsia e outros exames mais complexos.

Ultrassom das mamas

Consiste na ultrassonografia comum usada na região das mamas. Serve para indicar qualquer anormalidade na forma delas, como calcificações e nódulos. Também é um exame primário, que pode ser complementado por outros mais complexos.

Mamografia

Um dos exames ginecológicos mais importantes, a mamografia é usada para detectar a presença de tumores nas mamas, sendo complementar ao ultrassom. É fundamental para mulheres acima de 40 anos, mas é recomendado já para aquelas com mais de 35 anos quando há casos recorrentes de câncer mamário na família.

Ultrassom da tireoide

A tireoide é a principal glândula do nosso organismo, atuando na produção de hormônios primários, que estimulam a geração de outros, como os hormônios femininos. Por isso, o ultrassom da tireoide é muito importante para a investigação precoce de nódulos na região, prevenindo diversas doenças e disfunções da glândula, sobretudo aquelas que causam grande impacto na saúde da mulher.

Ultrassom do abdômen

ultrassom geral do abdômen é indicado para verificar problemas em órgãos como bexiga e fígado. Caso seja encontrada alguma anomalia, o médico pode recomendar que sejam feitos outros exames mais específicos.

Glicemia de jejum

É um exame de sangue bem simples, que verifica a quantidade de açúcar no sangue após um jejum de 12 horas ou mais. Ou seja, ele pode indicar se uma pessoa tem diabetes, doença bastante comum entre as mulheres.

Colesterol total

É usado para medir o nível de colesterol em circulação no sangue, que pode ficar acumulado nas artérias, provocando problemas cardiovasculares graves. Também é bem simples, sendo feito com uma pequena amostra de sangue.

Exame de urina

A urina pode mostrar uma série de problemas hormonais, metabólicos e até infecções.

Exame de fezes

As fezes devem ser analisadas para a verificação de parasitas no trato intestinal e outros problemas no trato digestivo.

Análise hormonal

Exames de sangue podem avaliar os níveis de hormônios importantes, como TSH, T4 e T3. Podem ser complementares ao ultrassom da tireoide, indicando anomalias na glândula.

7 dicas para cuidar da saúde da mulher

Independentemente da idade, das opções de vida e outros fatores pessoais e físicos, é necessário que as mulheres sigam alguns cuidados básicos. Listamos 7 deles.

1. Adote um estilo de vida saudável

O primeiro passo para cuidar da sua saúde é adotar um estilo de vida saudável. Para tanto, mantenha uma alimentação equilibrada, rica em proteínas, vitaminas e sais minerais e pobre em gorduras, açúcares e sal.

Além disso, inclua a atividade física na rotina, tanto aeróbica — como caminhada, corrida, bicicleta e natação — quanto exercícios de força e resistência, como a musculação. O pilates e a ioga ajudam a manter a forma e também a relaxar.

Outro ponto importante é não fumar, uma vez que o cigarro é responsável por inúmeras doenças, contendo milhares de substâncias tóxicas. O álcool deve ser evitado.

2. Procure dormir bem

Dormir bem é fundamental para manter o ciclo circadiano, ou seja, o tempo de funcionamento do nosso metabolismo. Assim, recomenda-se dormir de 6 a 8 horas por dia, de forma regular. Isso significa que não adianta tentar dormir mais em uma noite para compensar o sono perdido na anterior.

3. Fique atenta às doenças cardiovasculares

Como já dissemos, as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte entre as mulheres. Por isso, é necessário ficar de olho em qualquer alteração ou sintoma, como cansaço, falta de ar, fadiga e batimento acelerado, além de procurar um cardiologista e fazer os exames de rotina.

4. Tire um tempo para você

Para manter a saúde mental, é fundamental separar momentos do dia para fazer algo de que gosta e que lhe proporcione relaxamento. Pode ser dançar, passear, brincar com os filhos ou animais de estimação, sair com os amigos, assistir a um filme ou ler um livro, por exemplo. O mais importante é não viver apenas para o trabalho, dedicando um tempo para o lazer, a família e para si mesma.

5. Conheça seu próprio corpo

O fato é que, muitas vezes, o nosso corpo dá sinais de que há algo errado. Por isso, é bom ficar de olho não apenas em dores e desconfortos, como também em manchas na pele, inchaços e qualquer outra anormalidade.

No entanto, nem sempre o organismo dá sinais tão claros. No caso de um nódulo nos seios, por exemplo, é necessário fazer o autoexame das mamas regularmente. Isso é muito importante para o diagnóstico precoce do câncer de mama, aumentando de forma considerável as chances de cura.

6. Beba bastante água

Todas as pessoas devem beber água em abundância diariamente. No entanto, para as mulheres, isso é ainda mais relevante, uma vez que elas tendem a reter mais líquidos. Além disso, com o envelhecimento, a tendência é que haja um maior ressecamento.

É bom lembrar que as mulheres também perdem muito sangue no período menstrual, e a água ajuda na recuperação. A hidratação é necessária, ainda, para a manutenção da pele e da restauração das estruturas de colágeno.

7. Faça check-ups regularmente

Por fim, nossa dica é monitorar a sua saúde constantemente. Os check-ups anuais são importantes em qualquer idade, mas se tornam imprescindíveis após os 50 anos. É preciso acompanhar todos os indicadores de saúde, realizando os exames pedidos pelos médicos.

Checklist anual de cuidados com a saúde da mulher

Esperamos que todas essas dicas sirvam para que você possa se cuidar melhor. Afinal, a saúde da mulher demanda atenção específica, sempre voltada para a prevenção de doenças e a melhoria na qualidade de vida. Procure os médicos especializados para exames de rotina e fique atenta a qualquer mudança no seu corpo.

Gostou de saber como cuidar da saúde da mulher? Então, compartilhe o post nas redes sociais para que outras mulheres possam conferir essas dicas!

Fonte: amorsaude

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat