fbpx
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
Share on linkedin

Veja alguns cuidados essências para a saúde da mulher

O corpo humano possui algumas particularidades de acordo com o seu gênero – disso todos nós temos amplo conhecimento. É necessário que alguns cuidados sejam tomados ao longo da vida para que o homem ou a mulher tenham uma saúde próspera. No entanto, nesse conteúdo, vamos falar exclusivamente sobre a saúde feminina.

Um dado positivo é que as mulheres saem na frente quando o assunto é tratar da saúde pessoal. De acordo com o Ministério da Saúde, as mulheres cuidam mais do bem físico que os homens. Para se ter uma ideia, a expectativa de vida das mulheres é de 78,6 anos, enquanto a do homem é 71,3 anos. Ou seja, elas vivem cerca de 7,3 anos a mais justamente por cuidarem mais de si mesmas.

Mas muitas ainda ficam na dúvida na hora de elencar cuidados essenciais que devem ser realizados periodicamente. Se você se identificou com esse assunto, saiba que iremos abordar mais a fundo essas precauções. Leia tudo com atenção!

Por que é tão importante falar da saúde da mulher?

A saúde da mulher deve ser algo importante não somente para a sociedade em si, mas também para o governo, que precisa apoiar uma rede de cuidados essenciais. Afinal, muitas das doenças que atingem as mulheres são silenciosas.

Ter uma saúde em dia também significa prevenir doenças de fácil detecção, como é o caso do câncer de mama. Com o autoexame, as mulheres conseguem perceber nódulos na região, levando rapidamente essa constatação até um médico responsável.

Inclusive, para conscientizar dessa importância, existe o Outubro Rosa, um mês dedicado à prevenção e ao diagnóstico precoce desse tipo de câncer. Óbvio que esse cuidado não deve ocorrer somente durante esse mês, mas, sim, em todo o ano. 

Existem outras doenças que precisam ser prioridades na hora de a mulher realizar um check up profissional. Algumas dessas também acometem os homens, mas são mais frequentes nas mulheres. Listamos algumas:

  • Câncer de colo de útero: tumor maligno que afeta a parte mais inferior do órgão
  • Ovário policístico: distúrbio hormonal que causa um aumento no tamanho dos ovários, com pequenos cistos na parte externa deles
  • Cistite: inflamação ou infecção causada por bactérias que atingem a bexiga
  • Corrimentos vaginais atípicos: fluidos e células da vagina que variam de esbranquiçada e pegajosa a transparente e aguada, possivelmente exalando um odor que não é comum
  • Osteoporose: condição na qual os ossos se tornam frágeis e quebradiços
  • Endometriose: distúrbio em que o tecido que normalmente reveste o útero cresce fora do órgão
  • Mioma uterino: tumores benignos no útero que podem se desenvolver durante a idade fértil da mulher
  • HPV: infecção que causa verrugas em diversas partes do corpo, dependendo do tipo do vírus

Quais são os cuidados essenciais?

Chegamos agora ao ponto-chave deste artigo. Os cuidados citados abaixo não estão somente relacionados à saúde física da mulher, mas também mental. Confira:

Fazer exames de rastreamento periodicamente

Exames de rastreamento são realizados em pessoas que não possuem sintomas visíveis de algum câncer. No caso das mulheres, se destacam os de mama e de colo de útero. Esse último deve ocorrer pela coleta do exame Papanicolau, um procedimento ginecológico de citologia cervical.

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece esses exames de rastreamento de acordo com diretrizes específicas.

Escolher o melhor método contraceptivo

Para prevenir uma gravidez precoce ou não planejada, a mulher tem à sua disposição diversos métodos contraceptivos. Os mais famosos são: anel vaginal, injetáveis, adesivos, DIU de cobre, DIU com hormônio, diafragma e camisinha feminina.

No entanto, a mulher precisa conhecer o seu corpo e decidir qual método é mais adequado ao seu dia a dia. O SUS disponibiliza alguns dos citados acima, facilitando o acesso. Assim, será de escolha própria quando, como ou se alguma gravidez ocorrerá durante os anos férteis.

Dar prioridade à saúde mental

Por algumas questões de gênero que as mulheres passam no decorrer da vida, é necessário um acompanhamento profissional psicológico. Isso também auxiliará caso alguma vulnerabilidade esteja ocorrendo regularmente, como abusos, pressões e distintas negligências.

Ter uma saúde mental em dia também é fundamental para as mulheres idosas, que, algumas vezes, sofrem com isolamento social ou outros martírios emocionais. Um exemplo é a síndrome do ninho vazio, uma depressão causada pela falta dos filhos.

Somado a esses fatores, existem outras causas psicológicas que também precisam ser tratadas com cuidado, como insônia, transtornos alimentares e ansiedade.

Ficar atenta à menopausa

A menopausa é um declínio natural dos hormônios reprodutivos quando uma mulher atinge entre 40 e 50 anos. No entanto, em alguns casos, a menopausa pode ocorrer por irregularidades menstruais ou hemorragias. Em ambos os casos, é necessário ter o acompanhamento de um ginecologista.

Além disso, é normal ter alterações corporais durante esse período, que dura, em média, 12 meses após a última menstruação. Dentre os principais sintomas estão: ondas de calor (fogachos), alterações do sono, da libido e do humor e possível atrofia dos órgãos genitais.

Tenha um estilo de vida saudável

Essa dica é válida tanto para os homens quanto para mulheres. É preciso ter hábitos que resultarão em um estilo de vida saudável. Deixando os padrões estéticos de lado, ter uma boa alimentação e realizar exercícios físicos é imprescindível.

Por isso, procure um nutricionista para saber qual a melhor dieta de acordo com o seu tipo corporal. Ademais, procurar um bom instrutor físico também é essencial para que, ao realizar exercícios físicos, os limites do seu corpo não sejam ultrapassados.

Fonte: (diagnosticosdobrasil.com.br)

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Open chat